visita “Rafael Alberti”: um século de criação viva

     

Em 1998, os Reis da Espanha, Don Juan Carlos e Dona Sofía, se deslocaram à cidade El Puerto de Santa Maria para inaugurar a exposição permanente Rafael Alberti: Un Siglo de creación viva. Esta exposição, que ocupa todo o andar térreo do edifício, é visitada diariamente por pessoas de todas as nacionalidades. Através das salas, a biografia do poeta vai surgindo nos amplos painéis num singular percurso cronológico repleto de histórica amenidade, com fotos e desenhos nos quais a mítica vida de Rafael Alberti, sua obra literária e pictórica, sua ideologia, seus trinta e nove anos de exílio na França, Argentina, e Itália, estão manifestados minuciosamente. Desde seu primeiro livro de poemas, Marinero en tierra (1924), até Canciones para Altair (1989) e o terceiro volume de suas memórias que completa La arboleda perdida (1996), a obra de Alberti é um exemplo excepcional de uma intensa vida dedicada com plenitude à criação artística.

A legendária vida de Rafael Alberti está manifestada em sua extensa bibliografia. É muito difícil, quase impossível, encontrar composições suas desligadas da realidade que teve que viver, o que o torna um dos escritores mais autobiográficos da sua geração. Seu nascimento na cidade El Puerto de Santa Maria, à beira da baia de Cádiz - a mais antiga do Ocidente -, não pode ser casual, uma vez que marcará sua vida e sua obra para sempre.

         Todo o trajeto da exposição permanente Rafael Alberti: Um século de criação viva, é um lampejo constante de cor e luminosidade, onde a personalidade do poeta, sua potente força criadora, fica manifestada com a força e o lirismo que sua intensa personalidade requer, através de desenhos, poemas manuscritos, liricografias... Uma série de vitrines mostra documentos, distinções, prêmios, cartas e livros de Alberti traduzidos a diversos idiomas que ampliam ainda mais a repercussão de sua obra literária e pictórica. Através dos painéis, numerosas fotos de Rafael Alberti fazem recordar diferentes momentos da sua vida privada e pública, num incessante desfile de imagens de entes queridos, amigos e as personalidades mais relevantes do seu século, bem como de suas inumeráveis viagens pelo mundo.

Em 1999 a prefeitura de El Puerto de Santa Maria consciente de que a Fundação Rafael Alberti irradia desde a baia de Cádiz um dos focos culturais mais importantes do país, comprou o edifício anexo para que a exposição sobre o poeta pudesse ser ampliada. O Ministerio de Cultura, a Consejería de Cultura de la Junta de Andalucía, a Diputación de Cádiz e a própria prefeitura de El Puerto de Santa Maria colaboraram no projeto transformando-o numa esplêndida realidade. No dia 16 de dezembro de 2002, comemoração do Centenário de Rafael Alberti, foi inaugurada a nova sede da Fundação que agora pode mostrar seus fundos com novos espaços de exposições, ampliação da biblioteca, sala de audiovisuais e um salão de atos. Durante o Centenário foram publicadas pela primeira vez as obras completas do nosso poeta. Tudo, para que o mais íntimo desejo de Rafael Alberti como criador: "la ilusionada y tal vez vana esperanza de que el paso del tiempo no borre mis huellas de tantos caminos recorridos",- como deixou escrito em suas memórias- possa ser cumprido com a grandeza e dignidade que seu universal nome merece.
 

        

TÉRREO
PAINÉIS

"1902-17"

Anos da infância e adolescência na cidade El Puerto de Santa Maria.

"1917-30"

Mudança a Madri da família Alberti-Merello. Saudades da paisagem marítima portuária. Vocação inicial voltada à pintura. Residência de Estudantes. Recebe o Prêmio Nacional de Literatura. Amizade com o grupo de poetas que depois será conhecido como Generación del 27.

"1931-39"

República e Guerra Civil. Compromisso social e político.

"1939-77"

O exílio: França, Argentina e Itália. Saudades da Espanha e plena dedicação à literatura. Ressurge sua vocação pictórica. Prêmio Lênin da Paz.

"1977-98"

Regresso à Espanha. Deputado do PCE por Cádiz nas primeiras Cortes Democráticas. Ativa participação política como "poeta en la calle" (“poeta na rua”). Premio Nacional de Teatro e Cervantes de Literatura. Fixa sua residência na cidade El Puerto de Santa Maria.

First Floor

 


SALA DE AUDIOVISUAIS
Encontra-se no andar térreo, onde podemos ver diferentes projeções sobre o poeta que nos transportam a diversos momentos da sua vida até seus últimos dias, enquanto escutamos o testemunho da sua voz.

SALA MARIA TERESA LEÓN
Dedicada à escritora e primeira esposa de Alberti, com quem compartilhou cinqüenta anos de sua vida. Através de fotografias e diversos documentos, podemos ver a intensa atividade literária que realizou, bem como sua ativa participação política e sua feliz convivência com o poeta.

BIBLIOTECA
Consta de mais de sete mil exemplares, procedentes também da já citada doação que o casal Alberti-León fez à cidade El Puerto de Santa Maria. Está composta pelos livros pertencentes a sua casa romana, entre eles há grande variedade de gêneros literários, primeiras edições de grande valor e exemplares dedicados ao poeta pelos escritores mais importantes do século XX.


SITE MAP

• 956 850 711 - 956 850 960   • 956 852 299 
•Secretaría, administración y Dirección:   fundacion@rafaelalberti.es
• Consultas bibliográficas, biblioteca y archivo: biblioteca@rafaelalberti.es